Quinta-feira, 1 de Janeiro de 2009

Ano 2009

O que nos reservará 2009... Experiências novas, novos lugares, muitos ensaios, muitas brincadeiras, alguns arrufos com umas lágrimas pelo meio, umas caras zangadas, gargalhadas, espirito de equipa, objectivos cumpridos, novas amizades (e a permanência de velhas), enfim, é esperar para ver...

E se quiserem continuar a acompanhar o desenvolvimento deste ano já sabem, passem por cá, visitem este nosso lugar... e conheçam um pouca da nossa terra, das nossas gentes, da nossa cultura.

 

Com a garra e boa vontade que nos vem sendo conhecida, temos a certeza que conseguiremos enfrentar os obstáculos que possam surgir, que conseguiremos levar em diante este projecto que é de todos os Albidomenses.

 

Achamos que temos vindo a fazer cada vez melhor, sabemos que muito temos ainda para caminhar, mas acreditamos que, como até hoje, vamos continuar a dedicar-nos de corpo e alma á representação do povo Albidomense, melhorando de dia para dia com vontade de sermos cada vez maiores...

 

Que venha 2009...

 

 

Nós por Cá, somos ao contrário da grande parte dos Ranchos Folclóricos, por norma vão á televisão, Nós por Cá, não... É a televisão que vem até nós... Foi uma experiência engraçada, mas tire da ideia quem pense que temos vergonha da nossa terra, simplesmente porque não nos encontrávamos trajados... nada disso, até porque se tivessemos essa tal vergonha, não faziamos parte deste grupo... A televisão veio á Aldeia e decidiu assistir a um ensaio das Mondadeiras, claro está que nos ensaios ninguém vai trajado, logo este ensaio não tinha que ser excepção á regra... Então ao invés de estar o pastor, estava o Zé, o ganhão não estava lá, mas o Luis sim... pormenores que vale sempre a pena explicar, não vá o povo ficar com ideias erradas, e claro está, Nós por Cá, não queremos isso... 

 

A convite da Bolsa de Turismo de Lisboa, e por intermédio da Câmara Municipal de Sousel, estivémos presentes, no dia 25 de Janeiro, na Feira do Turismo, em Lisboa.

 

Cumpre-se de novo a tradição... A Serração da Velha, realizou-se no dia 21 de Março, e tal como em anos anteriores contou com a participação de muitos Albidomenses.

A Ti Jacinta, esta "jovem" senhora de 82 anos, sempre gostou muito da noite da Serração da Velha, ao contrário de algumas "velhotas" cá da Aldeia, ela abre-nos sempre a porta e demonstra o seu contentamento por mais um ano estarmos á sua porta. Este ano não foi diferente, é certo que não nos abriu a porta, verdade seja dita, mas abriu-nos o portão e presenteou-nos com uma festarola, pois é... esta senhora além dos seus maravilhosos licores, tinha á nossa espera uma mesa recheada de bolos, amêndoas, rebuçados, foi uma festa e tanto até teve direito a balhação. Ficámos bem contentes com a surpresa, mas ainda mais por vermos o sorriso e a satisfação desta "velha" tão jovem... Bem hajam a todas as velhotas, bem haja Ti Jacinta... Para o ano há mais!!!

Aqui ficam alguns momentos...

 

 

Como já vem sendo costume, claro está, este ano não foi excepção e no dia 25 de Abril lá estavam "As Mondadeiras", em Sousel, nos festejos de tão grandioso feriado. Um feriado marcado, pela Feira do Livro, pelo lançamento do livro "Almas em Verso" - Poesia Popular de Sousel (poetas populares de todo o Concelho - Sousel, Santo Amaro, Cano e Casa Branca), a actuação do Grupo de Cantares de Sousel, de Vila Viçosa chegaram os "Alento do Alentejo" - Grupo de Música Popular e por último mas não menos importante, a actuação do Rancho Folclórico "As Mondadeiras" de Casa Branca.

 

Salvaterra de Magos, conhecida entre todos pelas inigualáveis corridas de touros, o saboroso torricado, a deliciosa sangria e pelo belissimo folclore. Local no qual fomos recebidos muito carinhosamente no dia 2 de Maio, aquando da nossa participação no 29º Aniversário do Rancho Folclórico da Casa do Povo de Salvaterra de Magos. Uma noite bem passada, onde nos podemos deliciar com os diversificados costumes do nosso pais.

 

Não Faltem...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Novidades... Novidades...

Há já algum tempo que era desejo d´As Mondadeiras poder editar um cd. Um cd que pudesse divulgar as cantigas da nossa Aldeia, preservar algumas modas desta terra branquinha, levar a conhecer mais além o povo Albidomense. Com o apoio incondicional da Câmara Municipal de Sousel foi-nos finalmente possivel concretizar este desejo. Entre ensaios e mais ensaios, passaram-se noites agradaveis com o intuito de fazermos o melhor que conseguissemos, não foi tarefa fácil, mas se o fosse, não teria o tal gostinho de dever cumprido. Ao olharmos para trás pensamos, realmente valeu a pena, demos o nosso melhor e mais uma vez erguemos o nome de Casa Branca com a dignidade que lhe é devida.

Foi no dia 23 de Maio que nos reunimos na Biblioteca Municipal "Dr. António Garção" de Sousel, para finalmente gravarmos o cd.  Com a ajuda do Simão Moniz e a paciência do Luis Pedro, conseguimos fazer de um dia que se avizinhava repleto de nervosismo, um dia muito bem passado, tocando e cantarolando as nossas modas, orgulhosos que ficámos do nosso desempenho, ao final do dia eram sorrisos e palavras de contentamento, teríamos cumprido mais um dos objectivos deste ano de 2009. A todos quantos participaram na edição deste cd, BEM HAJAM... 

 

Mais um ano em que se realizou, a Festa do Folclore e Amizade, este ano em Vila Franca, no dia 31 de Maio, e claro está "As Mondadeiras" de Casa Branca, estiveram presentes e durante cerca de 10 minutos balharam as saias alentejanas, modas bem caracteristicas do povo alentejano que muito nos honra prestigiar.

 

Num documentário em que se irá falar acerca do Concelho de Sousel, da sua história, do seu património, dos seus saberes e sabores,do seu modo de vida, das suas gentes, seria quase que imperdoavel, não mostrarmos um pouco da nossa cultura e dos nossos humildes antepassados. Algo que vem sendo representado pelo Rancho Folclórico "As Mondadeiras" de Casa Branca, nos últimos anos e foi neste intuito que

                                                                                        

acedemos ao convite do Municipio de Sousel, em participar no documentário que se encontra em fase de elaboração e que irá dar a conhecer um pouco do nosso Concelho, bem como do nosso Alentejo. Foi no dia 5 de Junho que nos juntámos á equipa do Programa "Pontos Cardeais" - Porto Canal, e no Largo da República da nossa Aldeia Branquinha, para além de mostrarmos um pouco da nossa cultura, o nosso presidente da direcção falou um pouco acerca da pequena existência deste grupo. Não deixem de ver o programa... Pontos Cardeais - Porto Canal - TV Cabo, para saberem as datas consultem o site do Municipio ... www.cm-sousel.pt e deliciem-se com as inigualaveis paisagens do nosso rico Alentejo.

 

A realização de mais um Festival de Folclore, não é tarefa fácil, desengane-se quem por acaso pensar que é chegar e balhar. A organização de tão grande evento, envolve mil e uma tarefas, alheias a muitos, pois só quem se vê a braços com tal organização saberá dar o devido valor, mas como por cá dizemos muitas vezes... "quem corre por gosto não cansa..."

 Recebemos no adro da igreja da Aldeia de Casa Branca, o Rancho Folclórico do Retaxo; o Rancho de Folclore e Etnografia "Os Ceifeiros da Bemposta"; em representação da Beira Litoral, o Grupo Etnográfico da Casa do Pessoal dos Hospitais Universitários de Coimbra, e vindos do Ribatejo, o Rancho Folclórico Regional do Sorraia. Uma noite que se fez sentir quente, e que nos proporcionou uma belissima viagem pela cultura tradicional do nosso pais. A todos quantos nos deram o prazer da visita e da companhia... bem hajam e voltem sempre, pois se há arte que o povo alentejano muito preza, a de saber receber é uma delas!

 

Nós gostamos de receber bem, pois o povo Ribatejano não se fica nada atrás... Foi com essa certeza que voltámos do Festival do Rancho Regional do Sorraia, no dia 20 de Junho. Uma tarde quente que nos proporcionou uma agradavel visita por Coruche, muito bem acompanhados por elementos do grupo, podemos conhecer um pouco mais desta localidade. A noite continuou agradavél e mais uma vez "As Mondadeiras" de Casa Branca, representaram o povo humilde que caracteriza as gentes Alentejanas.

 

Açores... Aqui fica uma pequena resenha dos excelentes dias passados em território Açoreano!!

Na madrugada de 27 de Junho partiu a maior parte dos componentes do Rancho Folclórico “As Mondadeiras” com destino a Velas. No dia seguinte e depois de uma noite de descanso merecido foi a vez destes irem receber, juntamente com o Sr Presidente da Câmara de Velas, António Silveira e o nosso Vereador Emílio Sabido que nos acompanhou em representação da Câmara Municipal de Sousel, os restantes componentes que seguiram em voo separado, ao aeródromo da Fajã da Queimada, em Santo Amaro - São Jorge, claro!


Como se costuma dizer, foi chegar e bailar!
À chegada fomos recebidos com um lauto jantar oferecido gentilmente pelos amigos do Rancho Folclórico dos Rosais. Depois do estômago aconchegado, ás 21h já nós fazíamos a nossa 1ª demonstração de danças e cantigas da nossa aldeia, no adro da Igreja Matriz na Praça Velha, em Velas. Foi assim o nosso primeiro contacto com tão simpático povo que com vigor e entusiasmo nos aplaudiu.
 
Dia 29 e 30 foram aproveitados para conhecer a beleza natural da Ilha de São Jorge graças a boa vontade e simpatia do amigo Reinaldo e do Zé… Zé Carlos…. o motorista do autocarro que a Câmara de Velas pôs a nossa disposição logo à chegada. Por isso e por tudo o mais o nosso muito obrigado!
 
Foram dias bem passados que nos proporcionaram experiências e vivências diferentes das que estamos habituados num salutar ambiente de amizade e convívio tanto entre o grupo como com os novos amigos Açoreanos.
 
Dia 1 participamos na cerimónia de abertura da XII Semana Cultural de Velas que teve lugar no auditório municipal iniciada com a actuação da orquestra da Câmara de Velas, e encerrada com uma pequena demonstração de cantares pela tocata do Rancho Folclórico “As Mondadeiras” que logo em seguida deu inicio a sua actuação no palco da zona do arco no recinto da festa propriamente dita.
Apesar da chuva que teimou em cair naquela hora, foram muitos os que se dignaram juntar-se junto ao palco para apreciar a nossa representação, dando-nos assim a oportunidade de lhe darmos a conhecer um pouco do nosso Alentejo, do nosso concelho e da nossa terra.
 
Dia 2, com o dever cumprido e com novas amizades na bagagem já alguns estavam de volta ao continente, os restantes componentes chegaram dia 4 as 5.30 da manhã.
Isto porque, já tínhamos assumido compromisso de participar no Festival do prestigiado Rancho Folclórico de Retaxo, e as três da tarde já estávamos todos de novo a caminho.
 
Pena foi não nos ser possível ter ficado os restantes dias de festa na Ilha – ate dia 5, mas “quem tem pensões não tem devoções”.
 
Entretanto, e no essencial, todos viemos bastante satisfeitos desde o acolhimento e hospitalidade que consideramos de “  seis estrelas” às actuações que entusiasmaram os muitos assistentes.
Com tudo isto, os Albidomenses bem podem continuar a ter orgulho em quem os representa dignamente onde quer que seja.

O Nosso muito obrigado a todos quantos trabalharam e tornaram possível este intercâmbio cultural, em especial à Câmara Municipal de Sousel e à Câmara Municipal de Velas.

 

"...Quem tem pensões, não tem devoções..." e se foi assumido compromisso, há que cumprir... Pelas 15horas, do dia 4 de Julho, voltámos a encontrar-nos junto do edificio da Casa do Povo, para mais uma viagem que se avizinhava longa e quente. Uns com trajo na bagagem, outros com o trajo ainda no aeroporto de Lisboa, nada se nos meteu pela frente para seguir viagem até ao Retaxo. Enquanto isso, já o Sr. Sabido e o Sr. João, rumavam em direcção a Lisboa, para reaver a bagagem de alguns elementos, parece que foi tarefa dificil, mas cumprida, é que pouco depois de chegarmos ao nosso destino, também eles se juntaram a nós, munidos dos trajes e restante bagagem dos elementos do grupo, num magnifico jantar, servido pelo Rancho Folclórico do Retaxo. Seguiu-se a balhação, As Mondadeiras mostraram um pouco da sua terra e deliciaram-se com os aplausos, afinal é o que levamos destas lides, é a satisfação de quem assiste que  nos entusiasma para continuar a levar por diante projectos como este. O nosso sincero Obrigado ao Sr. Sabido e ao Sr. João, que nos ajudaram a tornar possivel cumprir com o nosso dever! Bem hajam!!

 

 A convite da Junta de Freguesia das Alcaçovas, estivemos presente na Quinzena Cultural desta localidade, no dia 17 de Julho. Alcáçovas, uma freguesia do concelho de Viana do Alentejo, na qual fomos muito bem recebidos. Uma boa demonstração de usos e costumes da nossa terra, que prendeu o público atento do principio ao fim. Após a nossa actuação foi-nos servido um bom jantar e ainda nos podemos divertir um bocadito no bailarico improvisado que nos fez voltar a pôr o pé em dança...

 

Valorizar, manter e dar a conhecer as tradições do povo Albidomense é tarefa rica em experiências novas, é levar mais além o nome dos nossos antepassados, é adquirir conhecimento, valorizando a vida daqueles que ao longo dos tempos nos foram deixando um património incrivelmente rico em cantigas, modas de saias, provérbios, belissimas receitas de licores, de filhós, o atar do lenço, o apertar da cinta...

Quando saímos de nossas casas não levamos conosco apenas a vontade de passear, levamos conosco a responsabilidade de continuar a enaltecer o bom nome das nossas "gentes"... No dia 1 de Agosto não foi excepção, aquando da nossa presença no 27º Festival de Folclore de Abragão, no Concelho de Penafiel, pois o bom nome dos Albidomenses foi mais uma vez dado a conhecer noutras paragens com o rigor que lhes é merecido...

 

No dia 6 de Agosto ficámos bem mais perto de casa, ficámo-nos pelo nosso rico Alentejo, em Elvas, no decorrer do 19º Festival Internacional de Folclore de Elvas que decorreu de 1 a 16 de Agosto e contou com a participação de vários grupos nacionais e internacionais. No dia 6 de Agosto nas Noites de Verão desta localidade estiveram presentes, o Rancho Folclórico "As Mondadeiras" de Casa Branca e os Oliim Mumpa, vindos do México.

 

 

Comemorou-se no dia 8 de Agosto, este ano na Vila de Sousel (dado que este festival percorre as freguesias do concelho),  o XXIX Festival Intenacional de Folclore do Concelho de Sousel, organização da Câmara Municipal de Sousel, e do Grupo de Cantares da mesma localidade e contou com o apoio da Associação de Folcloristas do Alto Alentejo. Uma noite agradavel em que tivemos a oportunidade de assistir  á representação de tradições e modos de vida diferentes, aqui representados por grupos nacionais e internacionais. Mais uma vez e para contentamento do nosso povo, as Mondadeiras balharam para as suas gentes...

 

As tradicionais  Festas em Honra de Nossa Senhora da Graça que este ano decorreram nos dias 14, 15 e 16 de Agosto, trazem até á nossa Aldeia os filhos da terra que por imposição da vida vivem hoje por outras paragens, mas como se costuma dizer... "o bom filho, á casa torna"... grande realidade que por esta altura do ano, já vai sendo hábito adquirido, não para ficar, mas para visitar... Verdade seja dita, aquando da actuação d´As Mondadeiras, o Largo da República fica repleto de povo, o que muito nos entusiasma, sentir o carinho do povo da nossa terra, dá-nos alento para ultrapassar quaisquer dificuldades... Bem Hajam Albidomenses!!!

 

 Campo Maior - Tradições 2009 - Varandas de São João, Desfiles Etnográficos, Animação Cultural, Gastronomia, um evento de elevadas proporções, levado a cabo pela Câmara Municipal de Campo Maior e com o apoio da Associação de Folcloristas do Alto Alentejo, que contou com a presença de vários grupos: - Grupo Etnográfico de Campo Maior - Grupo Etnográfico de Degolados - Rancho Folclórico e Etnográfico de Campo Maior - Grupo de Cantares Despertar Alentejano - Rancho Folclórico de Cabeção - Rancho Regional do Sorraia - Coruche  - Rancho Folclórico de Avis - Rancho Folclórico da Landeira  - Bombos de Nisa - Grupo Coral Vozes de Casével - Castro Verde - Rancho Folclórico de Fortios - Rancho Típico Cantarinhas de Nisa - Rancho Folclórico As Mondadeiras - C. Branca - Rancho Folclórico  de Aranhas - Penamacor - Grupo de Cantares de Sousel  - Grupo dos Amigos das Harmónicas de Campo Maior - Os Tocadores - Beja -  Musical União Degolados- Seara Jovem - Novas Melodias - Grupo de Saias do Rancho Folclórico e Etnográfico de Campo Maior - R. F. Casa Povo de  Almeirim - Grupo Danças Cantares Os Pioneiros - Rancho Folclórico de Moncarapacho - Grupo Coral Mineiros de Aljustrel - Rancho Folclórico do Cartaxo - Rancho Folclórico de S. Bartolomeu de Messines - Rancho Folclórico Etnog. Saloio MTBA - Rancho Folclórico As Ceifeiras - Alter do Chão.

 

No dia 5 de Setembro, foi dois em um... Tivemos dois convites para representar a Aldeia de Casa Branca em terras Algarvias, nos Gorjões - Sta. Bárbara de Nexe e em Albufeira por ocasião da Festa do Pescador. Juntou-se o útil ao agradavel e aceitámos os dois convites. Nos dois locais, por gente Algarvia, fomos muito bem recebidos e ainda aproveitámos para (re) ver velhos e grandes amigos...

 

Nas andanças do folclore fazem-se grandes amigos... amigos que lutam diariamente e até arduamente para manter as tradições do nosso Portugal, amigos que têm em comum levar mais além o bom nome das suas terras, das suas gentes, amigos que tal como nós defendem a cultura tradicional do nosso pais. Não importa se são do Norte, do Centro, do Sul e/ou até mesmo das Ilhas, importa o objectivo comum de manter vivo todo o património que os nossos antepassados nos deixaram, e de nos debatermos diariamente para que estes antepassados tão ricos em usos e costumes não caiam no esquecimento do nosso povo.

 

É sempre bom (re) ver amigos que já há algum tempo não vimos, foi o caso do dia 12 de Setembro, aquando da nossa demonstração de danças, cantigas,  usos e costumes da nossa Aldeia, no II Encontro Ibérico de Tradição e Cultura em Coimbra, em que tivemos a oportunidade não só de conhecer um pouco mais de Coimbra, através da belissima visita guiada, como também de rever velhos amigos, como é o caso do Rancho Folclórico da Casa do Povo de Salvaterra de Magos bem como do Grupo anfitrião - Grupo Etnográfico da Casa do Pessoal dos Hospitais da Universidade de Coimbra. 

 

 


 

Martinho Dimas - Um mentor da cultura popular


 


 

 

Apesar de cessar estas funções, assegura que vai continuar ligado à cultura, até porque tem trabalho entre mãos nessa matéria.

Martinho Dimas, homem generoso e sensível à temática cultural na sua generalidade, nunca regateou esforços para ajudar qualquer evento que promovesse a cultura local e regional. Foi e continua a ser um elemento pró-activo da cultura alentejana tendo organizado e ajudado a organizar centenas de actividades musicais, teatrais, folclóricas e outras promovidas na região.

Razão pela qual um grupo de amigos decidiu constituir-se em Comissão Organizadora (Joaquim Matias, Miguel Batista, Paulo Pires e Carlos Guedelha), e dessa forma "homenagear uma pessoa que muito deu à cultura tradicional portuguesa no geral e à cultura tradicional alentejana em particular".

Joaquim Matias, um dos elementos da Comissão Organizadora, lembra que Martinho Dimas "foi uma pessoa que, em termos profissionais, foi animador cultural do Inatel durante uma vida, colaborou, ajudou e patrocinou muitos eventos de carácter popular e tradicional relacionados, não só com o folclore e as bandas filarmónicas, mas também com os grupos de teatro e de música popular e tradicional".



Uma vez que foi uma pessoa que dedicou toda a sua vida em prol do que era a cultura tradicional e popular, "penso que se justificava esta homenagem por todo o trabalho, empenho e dedicação que ele teve para com as colectividades da nossa região e para com as pessoas com quem lidou e trabalhou durante todo esse tempo".

No complexo "O Celeiro" reuniram-se cerca de 100 amigos de Martinho Dimas para um "são convívio". "Ele merece todo este apoio", afiançou Joaquim Matias.

No decorrer do almoço, o homenageado recebeu diversas lembranças oferecidas por diferentes grupos culturais, autarquias e ainda alguns particulares. A animação ficou a cargo dos "Amigos do Dimas".

"Simplesmente dei um empurrãozinho aqui e outro ali"

Ao longo de 30 anos, Martinho Dimas trabalhou como animador cultural do Inatel e, apesar de a maioria das pessoas reconhecer o mérito do seu trabalho, Martinho Dimas revelou que "aquilo que fiz foi insignificante, pois há quem tenha trabalhado muito mais do que eu".



Por essa razão, assumiu que "todas as pessoas que meteram ombros a esta homenagem parece que se enganaram na pessoa. Isto não é ser modesto, pois há quem tenha trabalhado muito mais do que eu". Contudo, assumiu que "fui talvez um indivíduo que sensibilizou, motivou e ajudou, mas o trabalho foi todo das colectividades e das autarquias".

Sensível à temática cultural, Martinho Dimas confessou que "simplesmente dei um empurrãozinho aqui e outro ali" e "estas pessoas acabaram por reconhecer que esses empurrõezinhos justificavam esta homenagem e cá estamos".

Das três décadas ao serviço do Inatel "levo óptimas recordações", confessa o senhor Dimas, salientando que "tenho a plena consciência que nada é como era". "Embora reconheça que pouco fiz, mas em termos da cultura tradicional do Alentejo alguma coisa mudou para melhor e por eu ter conseguido despertar as colectividades, quer as bandas, os teatros, grupos de música popular e folclóricos, e outros de artesanato e poesia popular, consegui motivar e sensibilizar e houve muita coisa que foi recuperada", confessou. No entanto, assumiu que "muito trabalho ficou por fazer, mas como ainda tenho pelo menos 25 anos pela minha frente para viver, ainda vou fazer alguma coisa com certeza".

A recuperação de alguns instrumentos tradicionais da nossa zona, como a harmónica e da viola campaniça, e a interiorização na sociedade de alguns grupos folclóricos são apenas alguns dos trabalhos que Martinho Dimas assume que poderá "dar um empurrãozinho", uma vez que "ainda tenho força para isso".

Afiançando que vai continuar ligado à cultura, o homenageado revelou que vai fazer o inventário de todas as danças e modas que há no Alentejo, "e depois há a poesia popular na qual me vou também meter muito".

Mostrando-se "disponível" para ajudar autarquias e outras entidades a promover aquilo que é nosso, Martinho Dimas defendeu que "o património que herdámos tem de ser transmitido, de alguma forma, àqueles que vierem a seguir, que é a nossa memória". Contudo frisou que "este é um papel que não me cabe só a mim, mas a muitos e muitos".

Textos: Catarina Lopes

"Jornal Fonte Nova - Edição nº 1693 - Terça-feira, 20 de Outubro de 2009"

 


Musical Etno-Religioso “EnCantos da Minha Terra”

Espectáculo em prol do Hospital S. João de Deus
Dia 5 de Dezembro de 2009, pelas 21horas

CINE-TEATRO CURVO SEMEDO

Montemor-o-Novo

 

 


 

publicado por Mondadeiras às 22:56
link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De Anónimo a 30 de Junho de 2009 às 22:10
MUITOS, MUITOS PARABENS...
GOSTEI MUITO DE OS VER, ESPERO QUE VOS ACONTEÇA TUDO DE BOM POIS VOCES MERECEM, FIZ UM COMENTARIO NO VOSSO BLOG EM SETEMBRO DO ANO PASSADO QUE VOU DEIXAR AQUI TAMBEM:
De MAURO BILRO a 8 de Setembro de 2008 às 08:13
Bom dia, so hoje vi as respostas ao meu comentario, desde ja peço desculpa se de algum modo fui ofensivo," AS MONDADEIRAS" foi sem duvida uma excelente e enriquecedora expriência que tive, conheci lugares, gentes e culturas que talvez nunca me tivesse apercebido que existiam, percorremos milhares de km sempre com alegria e dedicaçao, fomos a TV, Madeira e conheci particularmente o norte do nosso fantastico e bonito pais, adorei a expriencia e aconselho todas as pessoas de todas as idades a ingressar num grupo folclorico, garanto que vao partilhar do meu sentimento descrito atras... Infelizmente tudo tem um fim, o meu foi devido a situações profisionais que me "obrigaram" a mudar para Lisboa, mesmo depois deste tempo todo de ausencia e da distancia a que me encontro continuo sempre a acompanhar o percurso do rancho na medida que posso, quando so vejo a dançar da-me sempre uma enorme vontade de subir ao palco para dançar convosco, infelizmente devido a distancia nao posso assistir e participar nos ensaios e na vida fisica do rancho "As Mondadeiras" mas deixem-me dar-lhes os parabens pela continuação e vida saudavel das "Mondadeiras" espero que continuem pois como sempre sao fantasticos no espetaculos que dao e tem pessoas muito boas e dedicadas nao so no corpo de dança como tambem na gestao do mesmo O meu muito obrigado por tudo e nao um adeus mas quem sabe um ate ja......

MAIS UMA VEZ MUITOS PARABENS CONTINUEM MUITA FORÇA E VONTADE PARA CONTINUAR ESTE LINDO E MAGNIFICO PROJECTO


De Anónimo a 4 de Agosto de 2009 às 16:12
Parabens


De carlos seca a 11 de Novembro de 2009 às 11:14
Como seria expectável, eis que apreciei, o site de um dos mais bem estruturados grupos de folclore do Alentejo. Está muito bem estruturado, e fico contente de ver pessoas de todas as gerações neste projecto. Numa altura em que a transmissão de valores se impõe, nunca a área da etnografia teve tanta importância. Desejo, força, determinação e valorização e nunca se esqueçam que desempenham um papel muito importante para as gerações de futuro. Nunca, se esqueçam das vossas origens, de onde vieram e para onde queremos ir. Abraço, amigo para todos e umas minis para o Olivério e Julio da parte do Carlos do Luxembourgo


Comentar post

Visitas

Mondadeiras Post

2016 - Serração da Velha

13 de Junho - XIV Festiva...

XIV Festival Nacional de ...

Ano 2015

Ano 2014

Ano 2013

Ano 2012

Ano 2011

Ano 2010

Ano 2009

Ano 2008

Agenda

Ano 2007

Apresentação do Grupo

Memórias

A Aldeia de Casa Branca

A Sede d´As Mondadeiras

Ensaios

Contactos

Artigos de Opinião

links

tags

todas as tags

pesquisar