Quarta-feira, 2 de Agosto de 2006

Ano 2006

Para o Rancho Folclórico "As Mondadeiras", o ano de 2006, não tem sido nada fácil, não fosse a boa disposição e a camaradagem existente no seio do Grupo, concerteza não teríamos chegado até aqui. Com muita força de vontade, coragem e principalmente gosto pelo que fazemos, temos conseguido superar todas as contrariedades que foram surgindo até aqui. Temos em mente continuar com este projecto e melhorá-lo cada vez mais, recolhendo e preservando os usos e costumes da nossa Aldeia, conseguindo levar mais além a História da "nossa" terra e das "nossas" gentes. A muitos temos a agradecer a confiança, o apoio e as palavras de encorajamento para seguirmos em frente, a todos eles, deixamos aqui o nosso MUITO OBRIGADO.

2006...

A Convite do R.F. As Azeitoneiras de São Bento do Cortiço, estivemos no dia 10 de Fevereiro, na Noite de Folclore, que se realizou no Teatro Bernardim Ribeiro, em Estremoz. E que contou com a organização e apoio da Associação de Folcloristas do Alto Alentejo e da Câmara Municipal de Estremoz.

 

 

 

 

 

 

 

Participámos como Associação, no Desfile de Carnaval de Casa Branca e de Sousel (sede do Concelho), nos dias 26 e 28 de Fevereiro, respectivamente.  

 

 

 

 

 

 

 

Organizámos e participámos na tradicional Serração da Velha. A qual contou com a participação de muitos Albidomenses. 25/Março

 

 

 

 

 

 

 

 

A convite do Sr. Padre Marcelino, pároco da Aldeia de Casa Branca, participámos na Procissão do Senhor dos Passos, que se realizou no dia 9 de Março.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tarde de Folclore em Casa Branca, uma organização das Mondadeiras que contou com a presença do Rancho Folclórico "As Azeitoneiras" de São Bento do Cortiço. A estreia do Paulo e da Claudia, no toque do acordeão.  

 

 

 

 

 

 

 

A Convite da Câmara Municipal, estivemos presentes nas Comemorações do 25 de Abril, no Jardim Público, em Sousel.

 

 

 

 

 

 

 

 

  

O ENCONTRÃO é um projecto do INATEL que visa estimular as práticas tradicionais no âmbito do Teatro, Música, Etnografia e Folclore, promovendo igualmente o contacto entre os participantes candidatos de todo o país,englobando três concursos que pretendem ser um impulso à criação de novas intervenções culturais e que têm por finalidade principal, fomentar e dinamizar a actividade dos CCD's a nível nacional: o "Teatrália—Concurso Nacional de Teatro", o "Festimúsica—Concurso Nacional de Música" e o Concurso Etnográfico"Henrique Rabaço". Este ano as Mondadeiras, depois de influênciados, pelo Sr. Dimas, resolveu participar também neste Concurso. Com o quadro etnográfico "Serração da Velha", tradição antiga que ainda hoje se festeja na nossa terra. 

 

Diz o David: - Não! O Zé Fininho na paga, que ele é que teve a astúcia a convencer o patrão a deixar trazer o gaiato. Que isto sem música na tem graça nenhuma.

 

 

 

 

 

 


 

 Num dos muitos ensaios que fizemos para conseguir recriar de melhor forma possivel, este quadro etnográfico, que tanto gosto nos deu realizar.

 

 

 

 

 

 

 

 

Dia 28 de Maio. Dia de grande nervosismo, passaríamos ou não, á 2.ª fase do Concurso Henrique Rabaço. Pois é, a primeira etapa estava ganha, ao fim da tarde era um respirar de alivio, mais um objectivo cumprido.

 

 

 

 

 

Dia 18 de Junho, estaríamos na final, mal sabiamos nós o que estaria para acontecer...

 

 

 

 

 

 

 

V Festival Nacional de Folclore

IV Aniversário do Rancho Folclórico

"As Mondadeiras" de Casa Branca

10 de Junho de 2006

Apesar das contrariedades correu tudo pelo melhor...

 

 

 

 

 

Estivemos presentes no Encontro de Criadores, que se realizou na Casa do Povo de Casa Branca, no dia 15 de Junho. Uma organização do 4.º Ano de Animação Educativa e Sócio-Cultural da Escola Superior de Educação de Portalegre e da Câmara Municipal de Sousel.

 

 

 

 

O tão esperado dia 18 de Junho, final do Concurso Henrique Rabaço. O nervosismo era muito, e quando a meio caminho de Lisboa se avariou o autocarro, era ver pessoas cabisbaixas, a pensar que não iriamos chegar a tempo. Não fosse o nosso Pinto (motorista) e a organização de tão grandioso evento a tudo fazerem para que ainda fosse possivel a nossa participação no Concurso. Chegámos mesmo nos últimos minutos, foi ver dentro do autocarro a ansiedade e o nervosismo a aumentar. 

 

Havia mesmo quem dissesse que iria ter uma "branca", tal era o estado de espirito no momento. Mas conseguimos, demos o nosso melhor, e qualifica-mo-nos num belissimo 3.º lugar. A felicidade era contagiante, não tivemos muita sorte para aqui chegar, mas o importante seria sempre participar. Era ver á saída os pulos de alegria e os sorrisos constantes, os abraços e a certeza de que valeu a pena participar, é mais uma experiência de vida, nas lides do nosso Folclore.

 

 

 

A SERRAÇÃO DA VELHA, práctica anual, que se situava entre o Carnaval e a Pàscoa e que consistia em "serrar" todas as velhas da Aldeia. Utilizava-se uma serra improvisada de madeira que provocava grande ressonância ao ser passada pelo cortiço. Tinha lugar a horas mortas, no negrume da noite. A turba avançava de porta em porta, arrastando uma cantilena de arrepiar: "Ai avóóóó, avóóó´´!... Ai, avó que vais morrêêêr! Geralmente, o coro era acompanhado por violino ou outro instrumento (na recriação utilizámos o acordeão, por já não haver na aldeia quem toque o violino), o que emprestava ao acto uma atmosfera grave e sinistra.

 

 

 

Dia 1 de Julho, estivemos presentes no Festival de Folclore de Gandra - Paredes - Douro

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A dançar "Rodando Rodando", a nossa Andreia e o Carlos. Actuação em São Tiago de Lobão, no dia 8 de Julho. Contamos com a presença do Rancho Folclórico e Etnográfico de São Tiago de Lobão, no dia 19 de Agosto, no XXVI Festival Internacional de Folclore do Concelho de Sousel, a realizar pelas 18horas, na Freguesia de Santo Amaro. 

 

 

No dia 5 de Agosto, estivemos presentes numa festa de solidariedade, no Lar da Terceira Idade da Vila de Cano.

 

 

 

 

No dia 6 de Agosto, rumámos até á Vila de Redondo, para participar no Festival de Folclore do Rancho Folclórico da Casa do Povo do Redondo.

 

 

 

 

 

 

 

 

Dia 10 de Agosto, no Jardim do Tarro em Portalegre, um convite do INATEL. Desta vez resolvemos colocar uma fotografia do  outro grupo presente, que se deslocou do México, para o nosso pais. 

 

 

 

 

 

 

 

É bom saber que daqui a uns bons anos(esperemos), teremos alguém para seguir em frente com o projecto das Mondadeiras. Muito nos surpreendeu a nossa "secção infantil", aquando de um convite da Comissão de Festas 2005/2006 de Casa Branca, para colocarmos um stand do Grupo Cultural e Juvenil de Casa Branca - Rancho Folclórico "As Mondadeiras", no recinto das Festas em Honra de Nsa. Senhora da Graça, e eles foram os primeiros a aceitar a proposta e a responsabilizarem-se pelo compromisso assumido. Era vê-los na sexta-feira (11/08), a orientar tudo, desde o que levariam para representar da melhor forma o nosso grupo a arranjarem um cabaz, fazer rifas e vendê-las para que durante as festas angariassem alguns fundos. E acreditem fizeram sucesso, muitos foram aqueles que aderiram. Na foto em baixo, temos os responsaveís "mor", o Joel e o Paulo, mas contaram com a magnifica ajuda da Maria Augusta, Neide, Claudia, Jessica, Cristiana, João Paulo e Gonçalo. Não podemos deixar de agradecer também á Maria da Graça, por se disponibilizar a ajudá-los e ao João "Pimpas" (pai de alguns deles), por ter transportado o material necessário para o sucesso deste trabalho. Tal como foi dito aquando da nossa actuação de ontem nas Festas: "...parabéns fizeram um optimo trabalho."

Actuação nas tradicionais Festas em Honra de Nossa Senhora da Graça de Casa Branca, dia 13 de Agosto. É sempre um prazer dançar nas festas da nossa terra, não só porque é a "nossa" terra, mas também porque é quando muitos têm a oportunidade de nos ver actuar, a todos os Albidomenses o nosso Bem Hajam, aqueles que visitaram ontem esta Aldeia, voltem sempre.  

 

 

 

 

 

O Nelson e a Tânia, o António e a Clarisse, o Joel e a Cristiana, As Mondadeiras a dançar "Saias Novas", no XXVI Festival Internacional de Folclore do Concelho de Sousel, que este ano se realizou na Freguesia de Santo Amaro. 19/08/2006

 

 

 

 

 

 

 

No dia 26 de Agosto, rumámos até terras Algarvias, depois de um dia de praia em Monte Gordo, fomos direitinhos para o Festival de Folclore da Praia da Manta Rota.

 

 

 

 

 

 

Pena a foto não ser de muito boa qualidade...

No dia 27 de Agosto, fomos até Campo Maior, depois de um enorme Desfile Etnográfico, um bom jantar e uma pequena actuação das Mondadeiras.

 

 

 

 

 

 

A dançar "Bate o Pé Comigo", no Valinho da Estrada - Melides, onde nos dirigimos no dia 9 de Setembro.

Uma viagem agradavél e uma boa actuação das Mondadeiras de Casa Branca em representação das suas gentes e da sua terra.

 

 

 

 

Mais uma actuação das Mondadeiras, desta vez rumámos até Penela - Coimbra, a convite da Câmara Municipal de Penela, fizemos uma boa actuação na FAGRIP. 01/10/2006

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Vale sempre a pena continuar a trabalhar com rigor, pois por vezes vimos aquela satisfação por parte daqueles que se encontram a assistir e isso para nós e ainda mais quando se trata das "nossas gentes" é um incentivo para continuar.

Pois é amigos. Fomos convidados pela Direcção do Centro Social "Adriano Rovisco dos Santos" de Casa Branca, a fazer parte da Comemoração dos 25anos de existência deste Centro que tem acolhido com tanto carinho todos aqueles que nos deixaram as tais tradições que hoje "As Mondadeiras" representam e levam mais além. Dia 7 de Outubro, pelas 9H, lá fomos nós tratar do som, organizar tudo da melhor forma para que fosse possivel oferecer um dia diferente aqueles que tanto nos legaram ao longo dos anos. E valeu a pena. Correu tudo pelo melhor. Recriámos a tradicional "SERRAÇÃO DA VELHA", e seguimos com o "balho", para os nossos "velhos", foi um recordar de tantas vivências, de tempos que muitos gostariam que voltassem atrás e se correu aquela lagriminha ao canto do olho, não foi só a eles foi também a nós que conseguimos fazer a felicidade de muitos. Por isso é sempre um prazer mostrar o nosso "trabalho", pois pelos aplausos e votos de uma boa continuação, podemos ver que também eles sentem orgulho em nós. Obrigado e bem hajam...

 

 

 

O Serrar da Velha...    

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O inicio do balho...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

No dia 19 de Novembro, fomos até Alcochete, a convite da nossa querida amiga Otilia e do Grupo de Danças e Cantares da Fonte da Senhora. Representámos a "Serração da Velha" e seguimos com o Balho. Correu tudo pelo melhor e fomos muito bem recebidos.

 

E com 2006 a terminar, não podíamos deixar as "nossas" gentes para segundo plano, nem tão pouco deixar de lhes oferecer uma "prenda" de Natal, em agradecimento ao que ao longo destes anos têm feito por nós, Rancho Folclórico "As Mondadeiras". Então depois de reunirmos e falarmos acerca do que  deveríamos fazer, chegámos á conclusão de que seria mesmo o grande feito deste ano que se encontra no fim...  O quadro etnográfico "A SERRAÇÃO DA VELHA"...

Casa do Povo de Casa Branca, 23 de Dezembro de 2006

Na taberna da ti Bernarda, voltou-se a reunir a turba de rapazes, que a pouco e pouco se foram juntando, bebendo uns copos e dizendo á ti Bernarda que a seguir iriam dar inicio á tão esperada de sempre "Serração da Velha"...

A ti Bernarda é que não achou muita graça quando o Tonho lhe diz que ela iria ser a primeira a ser serrada, mas entre um copo e outro lá se decide a não serrar a dona da taberna.

 

Chegada a turba de rapazes, fala-se acerca de quem se irá serrar, experimentam-se os utensilios a utilizar, o cortiço e a tábua com dentes, para que nenhum promenor falte a tão grande acontecimento, tal como era antigamente. Pois mesmo no frio da noite não havia quem não se emprestasse a tão grande acontecimento na Aldeia. Ouvem-se as doze badaladas e logo é dado o sinal... - Rapaziada! Tudo pronto? E lá segue a turba de rapazes no negrume da noite...

 

A primeira a ser serrada é mesmo a Ti Maria. Chegada a casa, um dos rapazes dá três pancadas na porta, dizendo:    -Vai haver intimação, á ordem do juiz de cabrela, esta noite á meia noite vais levar uma serradela. A restante turba entra então numa cantoria de dar dó. Ti Maria não se zangando por ser a escolhida, assiste ao acto entusiasmada, com o gaiato, seu neto. Serrada a velha, os rapazes despedem-se mas a velhota não se fazendo de rogada e no mesmo tom de cantoria dá a resposta aos rapazes e ainda os convida para quando passar a Quaresma, aparecerem lá por casa para fazer um balho, pois o gaiato que toca o acordeão, toca munta beim...

Antigamente, tal como na recriação haviam as velhotas que até gostavam de ser serradas e as que não achavam graça nenhuma, não só elas como os maridos.

Despedidos da Ti Maria seguem para a casa da Ti Rosa Baixinha, que é rabêta e do Ti Zé Cação, que é brabo dos queixos. A Ti Maria bem que os avisou, mal o rapaz dá as três pancadas na porta e começam com a cantoria de arrepiar, já a  Rosa Baixinha, grita: -Fora daqui cambada de malandros; e chama pelo Zei e para que ele traga a machada.

Sai então o Zei Cação, em ceroulas munido da machada atrás dos rapazes que fogem desalmadamente e aos prantos de que algum vai ser apanhado...

 

 

 

É então passada a quaresma quando o Zé Fininho volta a casa da Ti Maria, para fazer o balho. Velha d´uma cana, a Ti Maria, logo se apronta e ao som do acordeão vai-se juntando a multidão, rapazes e raparigas disputam grandes amores e bailam ao som de belas cantorias alentejanas...

Os albidomenses presentes gostaram, aplaudiram e agradeceram.

Realizado o quadro etnográfico para os albidomenses, chega a hora de efectuar no ceio do grupo, a troca de prendas, foram risadas até mais não, no final não poderia faltar o lanche de Natal e as conversas de balanço do ano de 2006 já com uma pitadinha de ideias para 2007... Mas para saberem, não deixem de visitar o nosso blog...

A Serração da Velha, foi umas das iniciativas do grupo que neste ano de 2006, nos deu mais prazer concretizar, viver e recriar algo  dos nossos antepassados, voltar atrás no tempo, sentir um pouco daquilo que as "nossas" gentes sentiram, pois com tão pouco que se tinha, havia sempre uma alegria imensa e vontade para ajudar quem precisava.

Balanço de 2006... Hum!! Apesar dos fracos apoios monetários, do desinteresse por momentos de alguns, das discussões (que acabam por ser normais), foi um ano em grande, viveram-se experiências novas, realizaram-se projectos novos e no ar ficou a vontade de continuar mais um ano com a mesma força com que vivemos este 2006.

 

publicado por Mondadeiras às 15:42
link do post | comentar | favorito
|

Visitas

Mondadeiras Post

2016 - Serração da Velha

13 de Junho - XIV Festiva...

XIV Festival Nacional de ...

Ano 2015

Ano 2014

Ano 2013

Ano 2012

Ano 2011

Ano 2010

Ano 2009

Ano 2008

Agenda

Ano 2007

Apresentação do Grupo

Memórias

A Aldeia de Casa Branca

A Sede d´As Mondadeiras

Ensaios

Contactos

Artigos de Opinião

links

tags

todas as tags

pesquisar